SALESIANOS DE LISBOA

PeJoão2_edited.jpg

Pe. João Chaves

Diretor dos Salesianos

de Lisboa

"Move-nos o desejo de ajudar a construir pessoas felizes aqui e na eternidade. "

Educar!

Educar! Uma realidade que empenhou e preocupou as sociedades de todos os tempos, configurando a vida familiar e a criação de distintas instituições educativas. Uma atividade que vai do simples transmitir, ao acompanhar cada um na assimilação e na integração, na própria vida, de todo um património cultural. Da dignidade e do sentido profundo desta missão fazem eco as palavras inspiradoras do Pai e Mestre da juventude, São João Bosco: "Quereis fazer uma coisa boa? Educai a juventude. Quereis fazer uma coisa santa? Educai a juventude. Quereis fazer uma coisa santíssima? Educai a juventude. Quereis fazer uma coisa divina? Educai a juventude. Mais, entre as coisas divinas, esta é diviníssima!" (MB, XIII, 629)

Perseguindo este convite incisivo e assumindo a responsabilidade do seu legado pedagógico, os Salesianos continuam hoje a rasgar horizontes educativos, numa colaboração estreita com as famílias e a sociedade, fazendo de cada jovem o centro e o protagonista de cada itinerário.

 

Move-nos o desejo de ajudar a construir pessoas felizes aqui e na eternidade. O mote "A educação é coisa do coração" recorda-nos também o nosso fundador.

 

Por isso, cada manhã abrimos não só as portas da nossa casa, mas sobretudo as portas do nosso coração para acolher cada um, num desafio de viver uma experiência educativa toda ela configurada pela razão, a religião e a amabilidade.

 

Filhos de um sonhador

Os Salesianos são uma Congregação, de direito pontifício, fundada pelo sacerdote italiano S. João Bosco (1815-1888).

 

O nosso nome oficial é Sociedade de S. Francisco de Sales, pois Dom Bosco – assim nos referimos familiarmente ao nosso Fundador – escolheu este santo francês (1567-1622), como modelo pela sua amabilidade e paixão evangelizadora. Somos mais conhecidos por Salesianos de Dom Bosco (SDB) ou simplesmente Salesianos.

Carisma

 

O estilo educativo-pastoral de São João Bosco e a experiência de Maria Mazzarello, fundadora com Dom Bosco do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, congregação criada para responder às mesmas necessidades de proteção da população jovem e órfã feminina, deram características próprias à proposta educativa das escolas orientadas pelos Salesianos e pelas Filhas de Maria Auxiliadora.

 

De Turim até Lisboa

“Naquela noite, tive um novo sonho (…). Sonhei que me encontrava no meio de uma multidão de lobos, de cabras e cabritos, de cordeiros, ovelhas, carneiros, cães e passarmos. Todos juntos, faziam um barulho, um alarido, ou antes, uma balbúrdia que assustava os mais corajosos. 

 

Eu queria fugir, quando uma Senhora, bastante bem vestida à maneira de pastorinha, me fez sinal de seguir e acompanhar aquele estranho rebanho, enquanto ela ia à frente. Andámos por vários sítios. Em cada paragem, muitos daqueles animais transformavam-se em cordeiros, cujo número ia crescendo cada vez mais. Depois de ter caminhado muito, encontrei-me num prado, onde aqueles animais saltitavam e comiam juntos, sem que uns tentassem fazer mal aos outros. (…) 

Percorrido ainda breve troço de caminho, encontrei-me num vasto pátio com pórtico à volta, em cuja extremidade havia uma igreja. Então dei-me conta que quatro quintos daqueles animais se tinham transformado em cordeiros. O seu número tornou-se depois elevadíssimo. (…) 

Então sucedeu uma maravilha. Muitos cordeiros transformavam-se em pastorinhos que cresciam e tomavam conta dos outros. Aumentando os pastorinhos em grande número, dividiam-se e iam para outros lugares.”

S. João Bosco - Memórias do Oratório

João Bosco nasceu em Becchi, a 16 de agosto de 1815 numa família de agricultores.

Em junho de 1841, foi ordenado sacerdote escolhendo como programa de vida "Dai-me almas e levai o resto" (Da mihi animas, cetera tolle).

A 8 de dezembro de 1841, na sacristia da Igreja de São Francisco de Assis, em Turim, Dom Bosco encontra Bartolomeu Garelli, um orfão de dezasseis anos. Depois daquele encontro, S. João Bosco reúne em torno dele os primeiros rapazes e organiza o oratório festivo, que mais tarde dará origem ao Oratório de Valdocco, no qual contou com a ajuda da sua Mãe Margarida. Com o Oratório a crescer, desenvolve-se o método educativo de Dom Bosco, o famoso Sistema Preventivo. É imbuída nesse espírito que nasce a primeira obra salesiana na cidade de Turim, é com esse carisma que D. Bosco envia os seus jovens Salesianos para todo o mundo também para o nosso Portugal.

As relações de D. Bosco com Portugal começam em 1844, através da família portuguesa Rademaker, fixada em Turim entre 1829 e 1848. O Pe. Daniel Rademaker, um dos amigos íntimos de D. Bosco e colaborador assíduo no Oratório de Turim, continuou a corresponder-se com ele após o regresso à pátria. Mas, a figura que mais fortemente ligou D. Bosco a Portugal foi indubitavelmente o Pe. Sebastião Leite de Vasconcelos que, desde 1880, manteve com Turim intensa correspondência. Os salesianos entraram em Portugal em 1894, num dos períodos mais críticos da nossa história. O primeiro passo consistiu na abertura de uma escola primária no Bairro da Lapa, Rua das Praças, n.º 36, em 1885, à qual foi dado o nome de Colégio do Sagrado Coração de Jesus. A inauguração do novo edifício, na localização atual é de 1906.

Na sequência da revolução política de 1910, o edifício é requisitado para fins militares até 1920. Seguiu-se um período conturbado em que se assistiu à expulsão dos salesianos estrangeiros, assaltos às casas e intimidações de vária ordem.

O ensino técnico tradicional começa a sentir uma acentuada queda nos países mais industrializados. Daí até ao seu desaparecimento não passaram muitos anos. A partir dos inícios da década de 70, o ensino profissional, que caracterizou as Oficinas de S. José desde os seus primórdios, desaparece por completo. Pouco a pouco vai sendo reduzido o internato e o ensino torna-se exclusivamente liceal. As Oficinas de S. José sofrem então uma mudança profunda: os espaços das antigas oficinas e internatos foram transformados em salas de aula, aumentou significativamente o número de alunos, e verifica-se a participação de grande número de leigos na ação educativa.

A situação só veio a regularizar-se a partir de 1920, ano em que reabriram as Oficinas de S. José de Lisboa. Em 1925, com a chegada do salesiano Aquiles Marchetti, as artes gráficas tomam grande impulso e desenvolvimento.

Comemorações do centenário da entrada dos Salesianos nas OSJ de Lisboa.

 
Crianças que jogam o conflito

O que nos move

A missão dos Salesianos é, prioritariamente, a educação e a evangelização dos jovens. O seu projeto educativo-pastoral que queremos realizar em todas as nossas obras está orientado para a promoção integral da pessoa do jovem e tem o seu fundamento no humanismo cristão. A missão dos Salesianos de Dom Bosco é desenvolvida em três direções específicas: juvenil, através da obra educativa dirigida aos jovens, sobretudo pobres e abandonados; popular, através da obra pastoral em ambientes populares; e missionária, em vista do anúncio do Evangelho.

A missão e o projeto de vida de Dom Bosco, partilhados pela Família Salesiana, exprimem-se num estilo de vida e ação – o espírito salesiano –, são centrados na caridade pastoral, caracterizados pelo dinamismo juvenil, que se manifesta intensamente em Dom Bosco e nas origens da nossa Família Salesiana (cf. Constituições e Regulamentos da Sociedade de S. Francisco de Sales, n.º 10). Este espírito salesiano encarna-se e manifesta-se na experiência espiritual e educativa de Dom Bosco no primeiro Oratório de Valdocco, bairro na cidade de Turim.

Deste modo a escola salesiana converte-se em “família” quando o afeto é correspondido e todos – educadores, pais e alunos – se sentem responsáveis pelo bem comum.

 

Solidariedade

Salesiana

Desde 2008 está ativo em Portugal o Serviço ‘SolSal’ – Solidariedade Salesiana – pensado para ir ao encontro das necessidades das crianças, adolescentes e jovens, em situações de especial vulnerabilidade, bem como apoiar as suas famílias nos seus processos de educação e desenvolvimento.